O Territoriando

Destinos

Home » Destinos » Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros

Trip Chapada dos Veadeiros: uma programação para te convencer

 

Saaaaalve, galerinha que curte viajar! Tuuudo bem com vocês? Nós, do Territoriando, estamos ótimos, afinal, acabamos de fazer mais uma trip excepcional! E, claro, que depois de viajar, renovar as energias, as percepções e a vibração, não teríamos como não estarmos de bem com a vida! =]

Hoje eu vim aqui contar para vocês como foi a trip que deu start às expedições do Territoriando! No primeiro artigo do blog, eu disse que não poderíamos dar o ponta-pé inicial nas nossas experiências por este mundão afora se não fosse pela multissensorial Vila de São Jorge, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

E advinha para onde o Territoriando foi?

O artigo de hoje te leva a conhecer esse pedacinho de maravilha!

Saímos de Goiânia numa quarta-feira, por volta das 15h. Era para ser às 13h, maaaas, demoramos (e muito) para escolhermos os modelos de óculos e bonés da nossa linha de produtos da Territoriando! Mas também cada um mais incrível que o outro que o atraso é até perdoado! Rsrs

Fomos, dessa vez, em quatro pessoas. Aqui, todo mundo curte viajar, ficar em contato com a natureza, mudar de ares, expandir e desafiar as nossas percepções.

A gente estava tão na vibe que a viagem, com seus 459 quilômetros, foi super tranquila.

Chegamos em São Jorge por volta de 20h30.

No vídeo abaixo, um resumo do que foi essa trip.

Veja a nossa programação

Primeira parada no Centro de Atendimento ao Turista (CAT)

 

Acordamos cedo! Ah, para curtir a Chapada é bom acordar cedo, viu!

Dentre tantas opções de trilhas e cachoeiras, não tínhamos em mente ainda qual iríamos fazer naquele primeiro dia. Fomos ao Centro de Atendimento ao Turista (CAT). O CAT fica bem na rua principal de São Jorge, lugar simples, mas te oferece algumas sugestões de passeios, além de sempre ter alguém da região para orientar sobre a escolha.

Fazenda Volta da Serra

 

Decidimos então fazer a trilha que abrange as cachoeiras do Cordovil, Rodeador e Poços das Esmeraldas. Todas ficam na Fazenda Volta da Serra.

Para chegar lá é bem simples: sentido Alto Paraíso, após a entrada do Vale da Lua, tem a indicação da entrada da fazenda.

Você segue de carro por um pequeno trajeto de estrada de chão e logo chega à recepção da fazenda. Ali você adquire o ingresso que te dá acesso à trilha para as 3 cachoeiras. O valor do ingresso para este passeio é R$ 25 por pessoa.

As cachoeiras

A ordem das cachoeiras é: Rodeador, Poço das Esmeraldas e Cordovil.

Distância da trilha de cada uma delas, respectivamente: 714 metros, 3,2 mil metros e 4,1 metros. Todas de nível fácil/média.

A dica, galera, é sempre começar pela mais distante e ir voltando passando pelas outras. E por que? Simples, imagine você ficar relaxando e curtindo logo na primeira parada e depois não tiver ânimo para seguir adiante! Não da, né! Rsrs

Além do que, as cachoeiras mais bonitas, normalmente, são as mais distantes!

Então, força na peruca, firmeza no passo e vambora!

Cachoeira do Cordovil

 

Cachoeira do Cordovil

A trilha para chegar na cachu do Cordovil é simples. Extensa, porém tranquila de se fazer. No finalzinho, tem uma parte bastante cheia de pedras, então é bom ir com atenção e cuidado.

Eu achei a Cordovil linda! Como fomos no período de seca, a cachu não estava tão volumosa, mas, ainda assim, é maravilhosa.

Um poço de águas esverdeadas complementa o visu!

Dedicamos mais tempo nela tomando banho, curtindo o sol e aquela sensação indescritível de chegar ao destino.

Encontro e Poço das Esmeraldas

 

Depois de relaxar e recuperar o fôlego na Cordovil, pegamos a trilha de volta para passar pelas outras opções.

Chegamos na cachoeira do Encontro, que não é, propriamente, uma cachu, não sei se por causa da seca. Encontramos uma área aberta com alguns poços rasos, mas bem aconchegante. Eu diria até que o nome “Encontro” foi bem sugestivo, pois achei o local bem intimista.

Mais algum tempinho por lá e partimos para o poço das Esmeraldas.

Cerca de 1 km de caminhada e tivemos acesso a este atrativo. A chegada é pelo alto e, de cima, já avistamos o poço. Um paredão de pedra cerca o poço das Esmeraldas.

Quando vimos pela foto o poço, gostamos muito. A água estava bem clarinha e o sol iluminava o local. Mas chegamos na Esmeralda já encaminhando para o final da tarde, então o sol  já não batia mais no poço e, por isso, preferimos seguir o trajeto e não descer para tomar banho. Afinal, mais uns 2,5 km de trilha nos esperava.

Uma pena, pois achamos o local maravilhoso também! Aliás, o que, na Chapada, não é digno de se maravilhar!

Cachoeira do Rodeador

 

Seguimos rumo à Rodeador. Cerca de 2,5 km de trilha voltando e chegamos na último atrativo deste dia. A cachoeira do Rodeador é uma queda pequena, porém volumosa. Forma um poço comprido que dá para nadar.

Estávamos cansados e não entramos na água. Ficamos algum tempo relaxando nas pedras e descansando até seguirmos rumo à saída da fazenda.

Finalizamos, assim, o primeiro dia de trilha.

Mais um dia no paraíso

 

Despertador tocou às 8h. Seguimos para o 2º dia de programação.

Indecisos, novamente, sobre qual trilha fazer, fomos no CAT de novo. Aliás, acho que fomos no CAT todos os dias kkkkk! É muita coisa na Chapada, e tudo muito convidativo! Acho que essa indecisão pega todo mundo! Rsrs

Tá. Decidimos pelo Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. O parque tem acesso direto pela própria vila, então é bastante viável para quem já está por lá. E, claro, as opções são de tirar o fôlego.

Antes de contar sobre a trilha escolhida para este dia, vamos falar um pouco sobre o parque?

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

 

O Parque é considerado Patrimônio Mundial Natural da Humanidade pela UNESCO e possui mais de 65 mil hectares, abrangendo a região do município de Cavalcante e Alto Paraíso.

Como disse, a entrada principal para o parque fica em São Jorge mesmo e, dentro dele, existe a possibilidade de fazer 4 trilhas diferentes: trilha dos Saltos, trilha dos Canions e Cariocas, trilha da Seriema e trilha das Sete Quedas.

Todas as trilhas são autoguiáveis e não exige a contratação de um guia, mas, caso você queira fazer os percurso acompanhado de um guia turístico, basta informar-se sobre o serviço no CAT.

O parque funciona das 8h às 17h30, sendo permitida a entrada somente até o meio-dia, possui estacionamento (R$15) e o ingresso para as trilhas custa R$ 17 para brasileiros, mas criança até 12 anos e pessoas acima de 60 não pagam.

A nossa escolha

Enquanto estávamos no CAT olhando as fotos e conversando com dois guias que estavam no local, decidimos por fazer a trilha dos Canions e Cariocas.

Chegamos no parque certos disso e até compramos o ingresso para esta opção.

Ao comprar o seu ingresso, você é direcionado para a recepção do parque, onde você tem acesso a mapas, fotos e pode se informar melhor sobre os percursos. Nesse momento, você também assiste a um breve filme sobre os atrativos, o que te oferece mais suporte na hora da decisão.

Depois de assistir ao filme e conversar com uma das guias, mudamos de ideia e optamos por fazer, naquele dia, a Trilha dos Saltos. Ficamos maravilhados com as imagens no filme e, apesar de termos sido avisados de que a trilha tem um nível de dificuldade elevado, quisemos experienciar.

Uma das frases que a guia da recepção disse e que, depois, eu entendi perfeitamente foi: “Na volta, vocês vão agradecer a Deus por Ele ter dado a vocês músculos nas coxas”.  Rsrs

E para mim, Carol, essa frase fez muuuuito mais sentido. Entenda o porquê nas próximas linhas! haha

Ah, e não tem problema se você comprar um ingresso e quiser alterar a rota depois.

Começamos a Trilha dos Saltos

 

Como disse, todas as trilhas do parque são autoguiáveis. Elas são indicadas por setas coloridas. Basta você seguir a seta que indica o caminho para a sua trilha.

Pois bem, a trilha dos Saltos é indicada por setas na cor amarela.

Registramos o ingresso na catraca e partimos.

Alguns minutos de caminhada e o primeiro indicativo de seta aparece do lado direito da trilha. Um toco de madeira mostrando as setas amarelas (trilha dos Saltos) e vermelhas (trilha dos Cânions)

Ambas as opções iniciam-se pelo mesmo trajeto. Depois, a trilha se bifurca e cada percurso toma um rumo diferente.

ATENÇÃO!

Começamos a trilha distraídos e conversa vai, conversa vem, sabe o que aconteceu? Passamos do ponto! Kkkkk

Isso mesmo! Não vimos este indicativo e passamos reto!

Depois de uma meia hora de caminhada, avistamos, do lado esquerdo da trilha, uma seta amarela. Certos de que estávamos corretos, entramos. E, sim, estávamos corretos, porém, fizemos um percurso mais longo do que se tivéssemos visto o primeiro indicativo de seta.

Por isso, galerinha que vai para a Trilha dos Saltos: muita atenção do seu lado direito no início da trilha haha!

A Trilha dos Saltos oferece 4 atrativos e possui cerca de 11 km (ida e volta).

O primeiro atrativo é a cachoeira dos Saltos do Rio Preto. Com 120 metros de queda, ela não tem acesso direto e você a contempla por meio de um mirante. O visu é muito incrível!

Descendo ladeira abaixo (a ida é, praticamente, só descida). E eu já sei que você já imaginou como deve ser a volta! Pois bem, após a descida íngreme, em meio às pedras, chegamos no segundo atrativo: a cachoeira do Garimpão.

Que lugar!

Uma queda de 80 metros e um poço enorme te convidam para um banho revigorante ou uma relaxada tomando um sol. Ah, forma até uma prainha super maravilha na frente da cachu.

A área para banho é delimitada, então atenção na hora de nadar, hein!

Algum tempo ali vivenciado esse lugar incrível e partimos rumo ao terceiro atrativo.

Cachoeira e Mirante do Carrossel

 

Do Garimpão até o Mirante do Carrossel, dá cerca de uns 20 minutos de caminhada. E é aqui que a frase da moça do parque fez total sentido, lembram?

É uma subida desumana! Rsrs

Cordas e banquinhos aparecem em alguns trechos para te provar que você é capaz! Kkkkk

E nós sentamos nos 3 banquinhos que existem! Haha

Depois do sufoco, chegamos ao mirante do Carrossel!

Este atrativo foi aberto recentemente na Trilha dos Saltos, então para você que está pensando em ir para a Chapada e conhecer o parque, certamente, terá acesso a esta maravilha.

Um mirante todo em madeira, parecendo um deck nas alturas, e que altura! Eu não soube a quantos metros de altura estávamos, mas sei que é beeem alto! Lindo! A vista é para a cachoeira do Carrossel e é revigorante, depois da subida matadora, chegar neste local.

Uma pausa aqui.

Lembram que eu disse que a frase da guia iria fazer muito mais sentido para mim? Explico.

Feliz da vida ao chegar no mirante, quis, obviamente, fazer aqueeeela selfie marota. Maaaas, ao abrir a mochila para pegar o celular… que celular?

Pasmem! Eu havia esquecido o bendito na cachoeira do Garimpão.

Das duas uma: ou eu tomava o preju de ter de fazer esse percurso insano de novo ou o preju de um celular! Advinhem qual foi a minha escolha?

Banquinhos! Ainda bem que botaram banquinhos! Kkkkk

Deixei a galera no mirante e parti! Recuperei o infeliz do celular e, uns 40 minutos depois, estava eu, novamente, no mirante, fazendo a linha plena tirando a minha selfie!

Dica: Não esqueçam os seus celulares.

Do mirante, partimos para a cachoeira do Carrossel. Cerca de 1,5 km de nível puxado. São duas quedas que formam dois poços. A área tem pedras grandes para um bom banho de sol. Eu, particularmente, achei um dos melhores atrativos deste dia.

Aliás, Garimpão e Carrossel eu colocaria na lista de favoritos!

Corredeiras

 

O último pit stop do dia. Uns 900 metros adiante da cachoeira do Carrossel e estamos nas Corredeiras. Não é uma cachoeira, é uma área bem aberta com algumas quedas pequenas formando um bom local para um banho mais tranquilo.

A areia na beira forma uma espécie de prainha também. Uma delícia para relaxar ao final de uma trilha tão puxada.

Só que já chegamos bem no final do dia, junto ao pôr-do-sol. Então, não tivemos tanto tempo para curtir as Corredeiras, pois precisávamos pegar a trilha de volta.

Um banho rápido e partimos para cerca de mais uma hora de caminhada até a recepção do parque.

Setas brancas, em todo o percurso, indicam a saída.

A Trilha dos Saltos dura, em média, de 4 a 6 horas, dependendo do ritmo de caminhada e do tempo gasto em cada um dos atrativos.

Agradecidos, felizes e renovados, a galera do Territoriando finalizou, assim, o segundo dia na Chapada.

Anjos e Arcanjos

Despertador, café da manhã, CAT e seguimos rumo à cachoeira dos Anjos e Arcanjos.

Anjos e Arcanjos ficam em uma fazenda no povoado de Moinho, a 18 km de Alto Paraíso. Este atrativo não está na rota das opções turísticas da região e, portanto, é uma escolha alternativa, inclusive o acesso não é dos mais rápidos e fáceis.

Por que optamos por Anjos e Arcanjos?

Primeiro porque o Territoriando tem essa pegada mais aventureira e, segundo, porque tivemos uma experiência fora da nossa vibe, neste mesmo dia, visitando a cachoeira dos Cristais.

Um adendo:

Começamos o dia escolhendo como rota a Cachoeira dos Cristais: acesso fácil e trilha curta para quem, um dia antes, pegou pesado na Trilha dos Saltos. Chagando lá, porém, vimos que o atrativo não era bem o que nós gostamos. Trata-se de uma opção bem acessível e, portanto, ideal para famílias, crianças. Uma estrutura de lanchonete faz o local parecer um clube, e não era bem isso que queríamos.

Ou seja, se você busca uma opção mais aventura e menos família, a cachoeira dos Cristais não é a pegada.

Mudamos a rota e, já no final da manhã, fomos encarar o trajeto para Anjos e Arcanjos.

Depois de chegar no povoado de Moinho, é só seguir em direção à fazenda Solarion, onde ficam as cachoeiras. O percurso não é dos mais sinalizados, então tenha bastante atenção ou vá pelo GPS. Uma dica é salvar o trajeto no GPS, pois o sinal de internet não pega em todo o trajeto.

Na fazenda, fomos recebidos por um francês, que creio eu, ser o dono da propriedade. R$ 15 por pessoa e seguimos rumo à cachu.

A trilha para Arcanjos é de nível fácil durante todo o percurso, apesar de haver algumas subidinhas. Uma exceção é ao chegar na cachu, que, só é possível acessá-la, após descer um paredão de pedras. Cordas ajudam na tarefa e, apesar  de ser um pouco complicado este acesso, não torna-se algo extremamente difícil.

Arcanjos é linda. Uma cachoeira média que desce por um paredão de pedras. Aliás, ela é toda contornada por um paredão. Um poço bem fundo é propício para saltos. Dispendemos algum tempo por lá até retornarmos.

Seguimos a trilha de volta rumo à outra cachoeira, Anjos. Em um determinado momento da trilha, vimos a placa orientando a direção. Seguimos, mas não a encontramos. Chegamos em um rio e não sabíamos mais para onde deveríamos ir.

Como já estávamos cansados, resolvemos voltar e, não foi dessa vez, que conhecemos os Anjos! Rsrs

A Trilha dos Canions e Cariocas

O último dia em São Jorge

O nosso quarto dia chegou. Estávamos cansados, mas ainda quisemos aproveitar bem este dia.

Despertador, café da manhã, CAT… rsrs

Como havíamos pensado no segundo dia em fazer a Trilha dos Canions e Cariocas, mas fizemos a dos Saltos, resolvemos incluir esta opção no nosso último dia.

Partimos rumo ao Parque Nacional, compramos o ingresso no valor de R$ 17 e fomos para mais um dia de trilha.

A Trilha dos Canions e Cariocas é sinalizada pelas setas vermelhas. Seguimos pelo mesmo percurso de Saltos, até que a trilha se bifurcou e nós pegamos, agora, o destino para Cariocas.

Cerca de 5 km e chegamos em uma outra bifurcação: à esquerda, Cariocas e à direita, os Canions. Fomos para Cariocas e, se estivéssemos dispostos, na volta iríamos para os Canions (o que acabou não acontecendo).

A trilha é extensa, mas é razoavelmente tranquila. Alguns trechos planos e outros um pouco pedregosos. Bem diferente da trilha dos Saltos.

A descida, porém, para a cachoeira das Cariocas é íngreme e perigosa. Feita por meio das pedras, é necessário bastante atenção. E a volta, claro, é bem cansativo, mas o resto é mais tranquilo.

Cariocas possui uma queda forte e imponente em um paredão bem extenso de pedras. A área é bem aberta e um poço com águas um pouco mais agitadas é formado. Maravilhosa!

Não tem muito lugar que dê sombra nas pedras das Cariocas, então capriche no protetor.

Depois de contemplar essa beleza toda, escalamos o paredão e retornamos para o parque. Iríamos embora para Goiânia neste dia e achamos melhor não seguirmos para o outro atrativo, que seriam os Canions.

Ainda assim, finalizamos o nosso último dia, com certeza, com chave de ouro. Valeu muito a pena ir até a cachoeira das Cariocas.

Lembretes importantes

Em todos estes locais visitados, não há estrutura para alimentação. No Parque Nacional, há apenas uma lanchonete. Como as trilhas acabam levando quase todo o dia, é muito importante levar lanches para comer quando sentir fome.

Nós passamos no supermercado e compramos algumas coisinhas, levamos pão com queijo e ovo da padaria, bolachas, pão de queijo, bolo, suco de caixinha. Enfim, o importante é estar abastecido. Afinal, sem comer não há ser humano que resistiria a estas trilhas!

Outro lembrete importante, que é bem óbvio, mas que, às vezes, passa até despercebido é levar bastante água para as trilhas. O calor é muito forte, algumas caminhadas exaustivas e é preciso, então, hidratar-se.

Na Trilha dos Saltos, que é mais puxada, eu diria, no mínimo, 1 litro de água por pessoa, por trajeto. Sério! Dá muita sede!

Chegamos ao final do nosso primeiro destino pelo Territoriando, galera!

Vila de São Jorge

 

Para quem não conhece a pequena e rústica Vila de São Jorge, vou falar algumas coisinhas básicas sobre ela.

A Vila ou povoado de São Jorge tem cerca de 700 habitantes e fica a 40 km da cidade de Alto Paraíso. A sua localização privilegiada tornou o local um atrativo conhecido internacionalmente e, por causa do turismo, estabeleceu-se na vila uma infra-estrutura que inclui restaurantes, pousadas e comércio de artesanato.

Localizada na entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a região possui centenas de cachoeiras catalogadas e uma magia que surpreende até mesmo os mais céticos!

Que energia!

Pois bem, chegamos neste lugar!

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

 

O Parque é considerado Patrimônio Mundial Natural da Humanidade pela UNESCO e possui mais de 65 mil hectares, abrangendo a região do município de Cavalcante e Alto Paraíso.

Como disse, a entrada principal para o parque fica em São Jorge mesmo e, dentro dele, existe a possibilidade de fazer 4 trilhas diferentes: trilha dos Saltos, trilha dos Canions e Cariocas, trilha da Seriema e trilha das Sete Quedas.

Todas as trilhas são autoguiáveis e não exige a contratação de um guia, mas, caso você queira fazer os percurso acompanhado de um guia turístico, basta informar-se sobre o serviço no CAT.

O parque funciona das 8h às 17h30, sendo permitida a entrada somente até o meio-dia, possui estacionamento (R$15) e o ingresso para as trilhas custa R$ 17 para brasileiros, mas criança até 12 anos e pessoas acima de 60 não pagam

Centro de Atendimento ao Turista (CAT)

 

Centro de Atendimento ao Turista (CAT). O CAT fica bem na rua principal de São Jorge, lugar simples, mas te oferece algumas sugestões de passeios, além de sempre ter alguém da região para orientar sobre a escolha.

As Trilhas na Chapada dos Veadeiros

As trilhas são bem sinalizadas no geral, tivemos dificuldade somente na trilha das Cachoeiras dos Anjos e Arcanjos, nas demais foi super tranquilo. A melhor surpresa foi que em 4 dias de rolê, não encontramos lixo nas trilhas e nem nas cachoeiras.

Hidratação é fundamental, muita caminhada e, dependendo do horário, muito sol na cuca. Como não é possível comprar água em nenhum ponto durante as trilhas, beba bastante líquido antes de começar e abasteça as garrafinhas para o percurso.

Na cachoeiras, em pontos distantes da área de banho e que a água não estava parada, abastecíamos as nossas garrafinhas.

Os percursos são bem desgastantes e são rolês de dias inteiros, em média, caminhamos de 10 a 12Km nas trilhas que fizemos. Por isso, é fundamental levar além de água, frutas e lanches.

São trilhas de média dificuldade, mas que podem ser vencidas com cuidado e respeitando os limites do seu corpo. Existem vários pontos de paradas para descanso.

Restaurantes e Lanchonetes

São Jorge é uma vila bem pequena, mas com opções gastrônomicas bem interessantes e para todos os bolsos.

Como chegamos bem cansados, procuramos um lugar com um visual bacana para começarmos bem a nossa viagem. A média de pratos nesse restaurante é de R$ 70,00, servindo duas pessoas não tão famintas.

Nos outros, dias optamos por opções mais ecônomicas. Prato feito a R$ 15,00 à vontade, Pizza Grande a R$ 45,00. O preço do refrigerante em lata é, em média, R$ 5,00 e a cerveja long neck R$ 8,00.

A cidade conta com uma única padaria que funciona somente no período da manhã, os preços são bem acessíveis: misto com ovo R$ 4,00, suco R$ 4,00, pão na chapa R$ 2,00, pão de queijo R$ 1,00.

Como esse espaço não é publicitário, não vamos divulgar o nome dos estabelecimentos. É somente para você ter uma ideia de quanto vai gastar nesse rolê.

Para dicas específicas, é só chamar no privado (Face ou Insta)

Integrantes da Expedição

Nossa avaliação geral

As Trilhas

Pouca sinalização.

Bem sinalizada, média complexidade.

Alimentação

Bons preços.

Bons Preços.

A melhor de São Jorge, só tem ela.

Hospedagem

Economiza tempo hospedar-se em São Jorge

Pousadas domiciliares bem simples, o foco é só dormir.

Custos

TERRITORIANDO
EXPEDIÇÃO Chapada dos Veadeiros
08/08/2019
CUSTOS DA EXPEDIÇÃO
Ingresso (Cordovil, Rodeador e Poço das Esmeraldas)
R$ 25,00 1 R$ 25,00
Ingresso (Anjos e Arcanjos)
R$ 25,00 1 R$ 25,00
Ingresso (Saltos, Carrossel e Corredeiras)
R$ 17,00 1 R$ 17,00
Ingresso (Cariocas)
R$ 17,00 1 R$ 17,00
Combustível (1050KM saindo de Goiânia, valor dividido por 4 pessoas)
R$ 120,00 1 R$ 120,00
Hospedagem (4 DIárias, quarto para 2, valor por pessoa)
R$ 300,00 1 R$ 300,00
Pedágios
R$ 15,80 1 R$ 15,80
Estacionamento Parque Nacional
R$ 15,00 1 R$ 15,00
Ingresso (Saltos, Carrossel e Corredeiras)
R$ 17,00 1 R$ 17,00
Estacionamento Parque Nacional
R$ 15,00 1 R$ 15,00
Totais
Total R$ 566,80
Pagamentos
Total pago R$ 566,80
www.territoriando.com.br

Dicas úteis

Cobertura Telefônica (VIVO, CLARO, TIM, OI)

Postos de combustível em média a cada 100Km

Em São Jorge não possui bancos, apenas em Alto Paraíso (40Km)

Alguns restaurantes abrem somente de quarta a domingo

Para quem vai de Goiânia ou Brasília, 80% do trajeto será em vias duplicadas e em boas condições. Quem sai de Goiânia, passa por 2 pedágios.

Os estabelecimentos aceitam cartões de crédito. Leve dinheiro para algumas atrações, passeios e guias.

Faça parte da nossa expedição, envie perguntas e sugestões

Loja Territoriando

Nossas viagens são custeadas com a venda de produtos de nossa loja.

INDIQUE

O destino que você sugerir pode ser o próximo a ser submetido para votação.

WhatsApp